O Spam é pior do que se imagina!

May 23, 2010

Segundo estudo da Symantec, 90,4% dos e-mails enviados durante o mês de abril são spam, ou mensagens que procuram enganar os utilizadores. Ainda segundo a companhia de segurança, cerca de 58% dos spams foram enviados pelas botnets, redes de computadores zumbis, que são usadas pelos invasores para disseminar

Para um usuário da internet, é bastante inconveniente ter que separar o que é spam do que não é na caixa de e-mail. Sem tomar o devido cuidado, o internauta pode ter uma a dor de cabeça ainda maior, já que esse tipo de lixo eletrônico normalmente vem acompanhado de vírus, spywares ou outras espécies de ameaças virtuais.

Mas os spams desperdiçam não apenas o tempo e a paciência dos usuários, mas uma enorme quantia em dinheiro. Um relatório de âmbito mundial divulgado em abril deste ano, realizado pela I.C.F. International, consultoria internacional sobre questões sustentáveis, e encomendado pela McAfee, revelou que a energia gasta para transmitir, processar e filtrar spams no ano de 2008 chegou a 33 bilhões de kWh (quilowatt-hora) – equivalente ao consumo energético de 2,4 milhões de casas nos Estados Unidos.

Para produzir essa quantidade de energia seria necessário, por exemplo, que a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira, em São Paulo, utilizasse o mesmo volume de água que flui pelas Cataratas do Iguaçu durante seis anos. Em escala global, o desperdício de energia causado por todas as atividades que a transmissão de spams prejudicam tem, também, um alto custo ambiental: o estudo indica que o fenômeno resulta em emissões de gases do efeito estufa equivalentes às de uma frota de três milhões de automóveis circulando no período de um ano.

O Brasil é o 2° maior gerador de spams na rede mundial de computadores, responsável por 10% do total. Os Estados Unidos lideram a lista, com 26% das mensagens produzidas globalmente. O documento também reporta que 80% de toda a informação produzida na internet são constituídas por spams.

“The Carbon Footprint of E-mail Spam Report” faz alusão a uma experiência que demonstra que a solução para esse problema não é intangível. No dia 11 de novembro do ano passado, a McColo Inc., site estadunidense notoriamente conhecido por proliferar lixo eletrônico pela web, foi tirado do ar pelo seu próprio serviço provedor de internet. Durante a noite, 70% do volume usual de spams deixou de circular, o que a ICF calculou ser o equivalente a tirar de circulação 2,2 milhões de veículos particulares durante um dia. Talvez por isso, Jeff Green, vice-presidente para o desenvolvimento de produtos da McAfee, acredita que devemos “parar os spams em sua fonte, assim como investir no desenvolvimento de tecnologia de ponta para sua filtragem, que irá salvar tempo, dinheiro e pagar dividendos ao planeta ao também reduzir as emissões de carbono”.

COMO EVITAR ISSO?

1- É mais simples do que imaginamos, sempre que for passar ou repassar algum e-mail para todos os seus contatos, utilize a opção “Cópia Oculta” ou “Blind Copy”, pronto!

2- Nunca clique em qualquer link que aparecer no seu e-mail, desconfie de todos!
Fontes: http://www.planeta-inteligente.com


Energia sob nossos pés

May 22, 2010

Pesquisadores da UNESP estão trabalhando no desenvolvimento de uma nova fonte de energia limpa e renovável: o piso gerador de energia.

Descoberto que certos materiais têm a propriedade de liberar elétrons sob pressão mecânica, até hoje desperdiçada pelo impacto dos pés ou pela vibração de rodas sobre uma superfície, começa a ser aproveitada por meio de uma nanotecnologia que emprega cerâmicas dotadas de piezoeletricidade, diz a revista.

A piezoeletricidade, propriedade que certos materiais têm de liberar elétrons em resposta à pressão mecânica, descoberta pelos irmãos Pierre e Jacques Currie, França, exatamente há 130 anos, vem sendo aproveitada em várias aplicações comerciais, como sensores acústicos, isqueiros, câmeras fotográficas, microscópios e relógios de quartzo.

Como funciona a nova tecnologia?

O “piso gerador de energia”, como vem sendo chamado pelos pesquisadores, nada mais é do que um piso enriquecido com namomateriais piezoeléctricos que deverão ser utilizados em locais por onde passam diariamente uma grande quantidade de pessoas, automóveis, trens ou até aviões.

A corrente elétrica gerada por esse impacto é então capturada para alimentar lâmpadas, painéis luminosos ou qualquer outro dispositivo luminoso utilizado no local.

No Brasil, conforme a revista, dois cientistas da Unesp se dedicam a estudar esta nova tecnologia, que ainda terão muitos desafios a ser superados…

Walter Sakamoto, da Faculdade de Engenharia do campus de Ilha Solteira, e Maria Aparecida Zaghete, do Instituto de Química da UNESP em Araraquara, são parceiros no projeto.

Leia a reportagem aqui: Energia sob os nossos pés

Fonte: Revista UNESP CIÊNCIA


Coca Cola Verde

May 21, 2010

Um dos assuntos mais debatido e exposto por todas as mídias em todo o mundo nos últimos anos é a importância da reciclagem e o enorme papel que ela tem em relação com a sustentabilidade do nosso planeta.
Onde a moda hoje são as ecobags, descoberta de novos tecidos mais resistentes, como reaproveitar o velho e transformar no novo, uma das maiores marcas do mundo não poderia ficar de fora desta iniciativa.
Pois bem, a Coca Cola em uma empreitada com a Emeco lançou a “Emeco’s Navy Chair”, uma cadeira feita a partir de uma reciclagem de exatamente 111 (cento e onze) garrafas PET’s.

Alem de serem muito estilosas as cadeiras estão disponíveis em cinco cores diferentes, possuem uma garantia de durabilidade de cinco anos e é toda revestida com fibra de vidro para dar maior resistência e brilho ao trabalho.
Quem diria que com apenas 111 garrafas derretidas seria possível criar um trabalho tão bem elaborado e estiloso como este? Como sempre a Coca Cola está presente em todos os tipos de mercado e sendo uma das empresas que mais investem em sua própria imagem, é claro que ela não poderia ficar de fora nesta luta para a conscientização da reciclagem.
Um dos lemas desta campanha da empresa é: “Por que jogar fora algo que vai destruir o planeta se você pode tê-la de volta em sua casa totalmente transformada em um item de grande utilidade?”

fonte: http://www.imagemmasculina.com


Reciclagem e Arte!

May 20, 2010

Tim Noble e Sue Webster são dois artistas que usam o lixo para criarem suas esculturas.

Se os próprios desenhos expostos já são uma obra de arte, eles se tornam ainda mais especiais porque são feitos a partir das sombras que o lixo reproduz  nas telas.

O Efeito é espetacular!

Show de bola não?


Cultura e Sustentabilidade.

May 19, 2010

É brasileiro o diretor de teatro que tem tudo para lançar tendência no universo dos figurinos. Rodrigo Rodrigues, que também é ator, vive na Irlanda, onde tem sua própria companhia de teatro que, aliás, ganhou em fevereiro um dos mais importantes prêmios teatrais do país com a peça “The Trojan Women”.

Mas a novidade não é propriamente o prêmio. O que fez com que ele merecesse tal honra foi o figurino da montagem, todo feito com materiais recicláveis. Munidos de muita atitude e disposição, durante um ano, os próprios atores iam para as ruas procurar lixo e roupa velha para compor o figurino.

O viés sustentável do seu trabalho vai ainda mais longe. Vivendo numa ponte área nada desagradável entre Dublin, São Paulo e Rio de Janeiro, o brasileiro está montando em Paraty, no Rio, um estúdio de TV e Cinema ecológico. A mata nativa do lugar, por exemplo, fará parte do cenário de um programa infantil que tem como proposta a educação ambiental dos telespectadores mirins. Nada mal se essa moda pegar por aqui, não é?

Fonte: http://www.suaverdade.com.br


Parceria em prol dos animais!

May 19, 2010

Saga de família de porcos adotada pela Surya e Ello Flex.

Porca e seus oito filhotes, que eram mantidos irregularmente em criadouro, são adotados pela Surya Brasil e Ello Flex.Porca e seus oito filhotes, que eram mantidos irregularmente em criadouro, são adotados pela Surya Brasil e Ello Flex.

A saga da família de porcos que fugiu de um criadouro e foi recolhida pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) terá um final feliz. No final de abril, a família de suínos foi encontrada na Rodovia Francisco Morato, após terem fugido do criadouro. Desde então, a família está sob a guarda do CCZ, órgão responsável pelo controle de populações de animais domésticos.

A Surya Solidária – programa de responsabilidade social da Surya Brasil dedicada a ações sociais e de proteção animal – tomou conhecimento do fato e, temendo a possibilidade de maus tratos ou de que os porcos pudessem ser mortos para consumo, resolveu intervir para a destinação adequada dos animais. Pois é necessário um adotante especial para esse tipo de animal, que precisa de espaço e cuidados específicos.

A família de porcos será encaminhada hoje para o sítio de um fornecedor da Surya Brasil. Eduardo Lima, proprietário da Ello Flex Brasil, empresa do ramo gráfico que produz rótulos e etiquetas, disponibilizará um espaço em seu sítio em Pedra Bela, interior de São Paulo, para que os animais sejam criados livremente, sob os cuidados da Surya Brasil, que fica responsável pelos custos com alimentação e tratamento veterinário.

Para Clélia Angelon, presidente e fundadora da Surya Brasil, a conquista da liberdade pelos porcos é também simbólica. “É uma demonstração real da vitória do direito à vida e do direito dos animais”, diz Clélia. “Respeitar os direitos dos animais significa valorizar a inter-relação entre todos os seres vivos e o nosso planeta”, diz ela. E para comprovar essa perfeita interação e reduzir o impacto ambiental, o tratamento aos porcos inclui a utilização de biodigestores que capturam o metano gerado pelos dejetos dos animais e o aproveitam para geração de energia.

“Partilhamos com o reino animal e vegetal o dom da vida, que é o bem mais precioso a ser preservado. Durante milhares de anos, o homem matava os animais para se alimentar e para se vestir. Hoje já somos evoluídos o suficiente para fazer outras opções que incluam o respeito aos animais”, conclui Clélia.

“A Surya resolveu assumir a guarda desta família de vencedores, que preferiram correr o risco do desconhecido a permanecer no criadouro e se transformarem em presunto, bacon, feijoada entre outras coisas”, diz Rosana Tsibana, responsável pela Surya Solidária. A mamãe porca recebeu o nome de Surya, pela coragem, instinto protetor e acolhedor, e pelo amor à vida. Os filhotes terão seus nomes dados pelos colaboradores da Surya Brasil.

A Surya Solidária realiza outras ações em prol dos direitos animais, como as campanhas contra os maus-tratos a animais em circos e campanhas de adoção. Além de diversos outros projetos que tratam de sustentabilidade, respeito ao meio ambiente e trabalhos sociais de desenvolvimento de auto-estima e capacitação e geração de renda.


Sustentabilidade.

May 17, 2010
A definição mais aceita para desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.
Essa definição surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental.
O que é preciso fazer para alcançar o desenvolvimento sustentável?
Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos.
Esse conceito representou uma nova forma de desenvolvimento econômico, que leva em conta o meio ambiente.
Muitas vezes, desenvolvimento é confundido com crescimento econômico, que depende do consumo crescente de energia e recursos naturais. Esse tipo de desenvolvimento tende a ser insustentável, pois leva ao esgotamento dos recursos naturais dos quais a humanidade depende.
Atividades econômicas podem ser encorajadas em detrimento da base de recursos naturais dos países. Desses recursos depende não só a existência humana e a diversidade biológica, como o próprio crescimento econômico.
O desenvolvimento sustentável sugere, de fato, qualidade em vez de quantidade, com a redução do uso de matérias-primas e produtos e o aumento da reutilização e da reciclagem.
Junte-se a nós!
Sua colaboração é fundamental para conservarmos o meio ambiente e garantirmos qualidade de vida para nós e nossas futuras gerações. Afilie-se!
Os modelos de desenvolvimento dos países industrializados devem ser seguidos?
O desenvolvimento econômico é vital para os países mais pobres, mas o caminho a seguir não pode ser o mesmo adotado pelos países industrializados. Mesmo porque não seria possível.
Caso as sociedades do Hemisfério Sul copiassem os padrões das sociedades do Norte, a quantidade de combustíveis fósseis consumida atualmente aumentaria 10 vezes e a de recursos minerais, 200 vezes.
Ao invés de aumentar os níveis de consumo dos países em desenvolvimento, é preciso reduzir os níveis observados nos países industrializados.
Os crescimentos econômico e populacional das últimas décadas têm sido marcados por disparidades.
Embora os países do Hemisfério Norte possuam apenas um quinto da população do planeta, eles detêm quatro quintos dos rendimentos mundiais e consomem 70% da energia, 75% dos metais e 85% da produção de madeira mundial.
Fonte: http://www.wwf.org.br